Câncer de mama em Pet: Como prevenir e detectar.

Você sabia que o câncer de mama é um dos cânceres de maior incidência e que não se restringe apenas aos humanos?

Estudos revelam que a maior incidência do câncer de mama se dá em fêmeas, sendo normalmente mais encontrado em cachorras de 4 a 12 anos de idade, e também em gatas a partir de 1 ano de vida. Porém, não são somente as fêmeas que são acometidas por tumores mamários, sendo de 1% a 3% dos casos diagnosticados em machos.
O teste genético ainda não é tão aplicado na rotina veterinária, mas acredita-se que em breve passará a ser usado no diagnóstico e prevenção das doenças em pets.

Castração é sempre a prevenção!

Além de reduzir consideravelmente as chances de uma gata ou cadela desenvolver um tumor mamário, a castração evita ainda o desenvolvimento de piometra (infeção uterina) e os cânceres de ovário e útero que, embora mais raros, também colocam a vida dos pets em risco.
Quanto antes a castração for realizada, menores as chances da cadela ou gata desenvolver um tumor mamário. No entanto, é preciso avaliar a saúde do animal de forma integral. A castração antes do primeiro cio pode prejudicar o desenvolvimento do pet, causar incontinência urinária futuramente e reduzir o papel protetor do estrógeno para outros tipos de cânceres. O mais indicado é realizar a castração próximo de um ano de idade, desta forma garantido o desenvolvimento completo dos tecidos do corpo e também o efeito profilático para o câncer de mama. A castração, aliás, é indicada mesmo para animais em idade adulta.

Um dos fatores que aumentar a incidência de câncer mamário em Pets é a obesidade, e por esse motivo é indicado ter um melhor controle alimentar e escolher a um alimento de boa fonte nutricional para evitar ganho de peso. Nós selecionamos algumas opções para você clicando aqui.

Quais são os sintomas?

O surgimento de tumores em cachorros e gatos está ligado a uma série de fatores como: raça, idade, alimentação e genética, por exemplo. Não há uma causa única, e a chegada da doença é imprevisível, ou seja, qualquer pet pode desenvolver câncer de mama. Por isso, a importância de consultas periódicas para manter a saúde do animal sempre em dia e preveni-lo dessa e de outras complicações.

Em pets, os principais sintomas de câncer de mama são dores, inchaço, perda de apetite, desânimo e surgimento de caroços. Quando identificados, devem ser analisados por profissionais veterinários e tratados com urgência por especialistas em oncologia pet. Quanto antes o diagnóstico, melhor. Qualquer tipo e tamanho de caroço devem ser investigados e, se preciso, tratado.

Carinho também é diagnóstico

A dica é aproveitar o momento de interação e carinho na barriga para palpar as mamas e verificar se não há nenhum nódulo. Para os gatos, que geralmente não apreciam o toque na barriga, pode ser um pouco mais difícil, mas o ideal é tentar acostumar o bichano com a palpação, um cuidado em forma de carinho.

Como funciona o tratamento?

Para saber a opção ideal de tratamento de acordo com o tipo de câncer de cada pet, é preciso saber em qual estágio da doença o cachorro ou gato se encontra. No caso de tumores malignos, recomenda-se a remoção cirúrgica da mama afetada, reduzindo, assim, o risco de metástase.

Em graus elevados de malignidade, pode, ainda, haver a necessidade de aliar a cirurgia ao uso de medicamentos quimioterápicos. Mas não se desespere! A quimioterapia em pets é efetiva e menos agressiva que em humanos. Com o avanço da oncologia veterinária, as chances de cura, também, são altas, portanto não há motivo para medos e preocupações.

Você, tutor, deve cumprir seu papel de cuidado com o animal de estimação e estar atento às mudanças relacionadas a doenças como o câncer. Assim, você toma as medidas necessárias de tratamento e evita que seu cachorro ou gato tenha maiores complicações. Além disso, a alimentação adequada também pode ajudar no tratamento de pets com câncer, podendo controlar e, até mesmo, curar a doença. A dica é substituir a ração por alimentos naturais que incluam vegetais, proteínas e gordura boa. O hábito contribui não apenas para o controle do câncer, mas também evita problemas de diabetes e alergias.

Amor e carinho por parte dos tutores também contribuem para a boa recuperação do animal de estimação em momentos difíceis como este. Portanto, o cuidado com os pets deve ser mantido e ressaltado durante a fase de tratamento.

Agora você já sabe como prevenir e quais cuidados devem ser tomados para que o seu pet tenha a melhor qualidade de vida. Fique ligado nos próximos conteúdos para mais informações importantes! Procure a Casa do Produtor mais próxima de você, agende seu horário na nossa Clínica Veterinária e tenha o melhor para o seu pet, e muito mais!

Deixe uma resposta