• Home
  • Pépteis
  • O que você precisa saber antes de levar um réptil para casa

O que você precisa saber antes de levar um réptil para casa

Antes de ter o seu primeiro réptil de estimação, é importante levar alguns pontos em consideração. A gente te ajuda a decifrar esse mistério

Está pensando em ter um réptil como animal de estimação? O primeiro ponto é entender que há uma enorme diferença em adotar um cão ou gato e ter um réptil como pet. Isso acontece porque todos os répteis precisam de cuidados especiais que podem não ser tão comuns.

Entretanto, é válido dizer que a maioria dos répteis são criaturas aptas a se tornarem animais de estimação e podem se adaptar à vida doméstica.

Quero ter um réptil, e agora?

No primeiro momento, os cuidados com um réptil podem ser estranhos, pois estamos acostumados com animais mamíferos que possuem costumes mais próximos aos nossos. Dessa forma, o primeiro passo é ter um pouquinho de conhecimento sobre a espécie desejada.

Eles precisam de um espaço próprio

Não basta apenas comprar uma caixa de plástico ou um terrário e deixar o animal largado, pois isso será extremamente prejudicial a sua saúde. Cada espécie possui reações diferentes com temperaturas altas e baixas.

Esses animais têm a necessidade de residir em um ambiente que tenha a mínima exposição solar, mas que também tenha locais escuros e cobertos para o seu descanso. O mais recomendado para quem deseja um réptil é investir em um terrário de dois andares, com espaço para movimentação na parte de cima e descanso na parte inferior.

Além disso, esses animais costumam gostar de galhos, cascalhos ou objetos para subir. Por isso, vale investir em um terrário que possa ser adaptado ou possua essas características.

Não se esqueça de limpar a casa do animalzinho ao menos 1 vez por semana, retirando as necessidades dele e limpando o local totalmente.

Alimentação

Aqui vale uma ressalva. Existem répteis que só consomem folhas ou plantas, mas também há aqueles que se alimentam de outros animais. Por isso, é importante dizer que pode não ser tão fácil alimentar um réptil que coma insetos, por exemplo.

Porém, com a escolha de seu primeiro réptil definido, pesquise e fale com especialistas para que eles possam auxiliá-lo no momento da escolha da alimentação do seu animal.

Não são lá tão companheiros

Se você está à procura de um animal de estimação, um companheiro para todas as horas e que vire de barriga para baixo para receber carinho, então é melhor escolher um cachorro ou um gato, pois os répteis não são lá tão companheiros e nem são feitos para pegar a bolinha ou passear no parque.

Além disso, se você tiver criança em casa, pode não ser uma boa ideia ter um animal desse tipo, afinal, ao mesmo tempo que chamam atenção, não podem ser tratados com toques, beijos e abraços, algo que os pequenos geralmente fazem.

Qual espécie escolher?

Iguana

A iguana é um dos répteis mais indicados para se ter em casa, afinal é muito atraente, bonita e curiosa. Porém, vale lembrar que quando jovens, elas são pequenas e tendem a aumentar consideravelmente de tamanho na vida adulta.

Para se ter uma iguana em casa, é preciso adaptar um terrário que tenha altura suficiente para colocar um tronco em que o réptil possa subir. Além disso, é preciso controlar a temperatura e a umidade.

Em geral, as iguanas se alimentam de insetos, frutas, legumes e folhas e costumam comer mais na fase jovem do que na fase adulta, sendo necessário alimentá-las apenas três vezes por semana nessa época da vida.

Lagartixas

Você sabia que é possível ter uma lagartixa como animal de estimação? Se você for iniciante no ramo dos répteis, esse animal é muito fácil de cuidar, pois são muito dóceis e precisam de pouco espaço para movimentar-se.

Um simples terrário e um pouco de água serão suficientes para cuidar do animal. Porém, sua alimentação é à base de insetos, algo que pode complicar um pouco os cuidados com o animal.

Tartarugas

Não há como negar que as tartarugas são um dos répteis mais famosos para se ter em casa. Porém, é preciso entender que existem diferentes tipos, cada um com diferentes necessidades em termos de cuidados.

E aí, já dá para ter seu réptil em casa? Com essas dicas e com um muito cuidado e carinho para dar, não fica difícil ter um animal diferente com você, não é mesmo? Aproveite!

Deixe uma resposta